Postado 22/01/2018

Competências estratégicas

Competências para alta performance, Recursos Humanos

Ser estratégico pode significar algo diferente de agir estrategicamente. O último relaciona-se mais com o que fazemos e o primeiro relaciona-se mais com o que somos capazes de fazer. Em termos de “o que somos capazes de”, uma visão sobre “competências estratégicas” se torna uma perspectiva interessante.

Competências estratégicas equipam pessoas e organizações para tomar posição e mover-se em um contexto altamente dinâmico que coloca os desafios em constante mudança para a realização de seus objetivos. A falta dessas competências prejudica a capacidade de adaptação a esses ambientes em mutação, levando a uma crescente marginalização. As competências estratégicas vão além de uma abordagem “como fazer”. Estas competências podem ser comparadas ao jogo de xadrez. Ganhar o jogo envolve muito mais do que mera aplicação das regras do jogo. Não há um curso fixo de ação que possa ser planejado de antemão, por causa de múltiplas incertezas sobre os movimentos do outro jogador. Jogar o jogo envolve conhecer as regras do jogo, mas também a capacidade de aplicar experiência relevante, a capacidade de desenvolver e adaptar constantemente cenários e muito mais.

Competências estratégicas desempenham um papel crucial na nossa capacidade de pensar e agir estrategicamente. Com as competências estratégicas implementadas, gestores, planejadores e decisores organizacionais podem tomar decisões contextualizadas adaptadas à dinâmica de uma situação específica.

As competências estratégicas reforçam a independência, o que capacita as pessoas a contextualizar a tomada de decisões, navegando nas especificidades multifacetadas da situação em que estão envolvidas. Considero o pensamento estratégico um tipo de conceito-chave para uma série de competências estratégicas. O pensamento estratégico a nível organizacional fornece o contexto em que o pensamento estratégico individual pode ocorrer, e assim influenciar a organização. As organizações precisam criar as estruturas, os processos e os sistemas que promovam o diálogo estratégico rotineiro, e tirar proveito da engenhosidade e criatividade de cada colaborador / stakeholder individual.

A seguir observamos uma lista composta por uma série de competências que podem ser chamadas de estratégicas. Esta lista não tem a pretensão de ser completa podendo demonstrar alguma sobreposição entre as diferentes categorias, mas dá uma idéia do que estamos falando:

  • Competências de pensamento conceitual e visual
  • Competências de metacognição
  • Competências de pensamento histórico
  • Habilidades de reflexão de hipóteses
  • Competências de pensamento sistêmico
  • Competências de foco de intenção
  • Competências inteligentes de oportunismo (visão de oportunidade)
  • Competências de liderança estratégica e de relacionamento

As competências estratégicas relacionam-se, em parte, mais com a arte e a atitude do que com as competências e os conhecimentos especializados, isto torna estas competências menos tangíveis em termos de desenvolvimento de capacidade. Pode ser parte da razão pela qual observamos uma tendência a concentrar o desenvolvimento de capacidade em ajudar pessoas e organizações no processo de cumprimento de certas tarefas. A inclusão de um enfoque no fortalecimento das competências estratégicas amplia as perspectivas sobre os processos de desenvolvimento de capacidades. Ele ressalta a compreensão do desenvolvimento de capacidade como sendo muito mais do que mera formação.

Texto adaptado e traduzido Strategic Competencies
http://www.thebrokeronline.eu/Blogs/Strategy-and-Complexity/Strategic-competencies

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *