Como a comunicação não-violenta melhora os relacionamentos nas Organizações

Blog

Duomo Educação

Postado 09/07/2018

As técnicas de Marshall Rosenberg estimulam uma comunicação para resultados 

que gera conexão, empatia e resolução de conflitos.

Fazer uma crítica, expressar ideias opostas ou compartilhar feedback negativo entre colaboradores, pares, gestores, diretores é algo necessário e recorrente no ambiente de trabalho. Mas, a forma como nos expressamos é o que gera mais conflitos nas relações corporativas. As técnicas da comunicação não violenta estão auxiliando na melhoria dos relacionamentos pessoais e profissionais. Por isso, devem ser conhecidas por líderes, gestores, colaboradores e até por quem trabalha com recursos humanos.  O passo a passo da comunicação não violenta foi desenvolvido pelo psicólogo Marshall Rosenberg.

 

No livro “Comunicação Não – Violenta – Técnicas Para Aprimorar Relacionamentos Pessoais e Profissionais”, Marshall Rosenberg defende uma comunicação baseada na intenção da conexão. Esse é o caminho para evitar conflitos desnecessários, que tiram o foco da mensagem ou do objetivo principal.

Ao expressar um ponto de vista sem julgamentos e ouvir a opinião do outro com o objetivo de entender a real necessidade do outro, a chance de ocorrer uma comunicação voltada para o resultado é bem maior.

 

Nesse processo de comunicação existem quatro etapas importantes para que a mensagem alcance o resultado esperado. Para isso, os envolvidos devem estar dispostos a entender as necessidades que não estão sendo atendidas, com isso abre caminho para gerar soluções viáveis para questão em comum, o que vem a beneficiar os resultados e o clima nas relações dentro da organização.

1 – Observação

 

A partir de uma escuta ativa, o emissor consegue verbalizar um diagnóstico imparcial da situação. Nesse caso, é importante evitar termos generalistas como “sempre” ou “nunca” e focar em dados concretos e objetivos, inclusive mencionando prazos pré-definidos. Nessa etapa, qualquer opinião é deixada de lado.

 

2 – Sentimento

 

Marshall Rosenberg defende que somos responsáveis pelos nossos próprios sentimentos. Dessa forma, é importante não colocar uma outra pessoa como “causadora” de um sentimento. Na comunicação não-violenta, neste momento, expressamos apenas o que sentimos em determinada situação. Sem envolver ou prever uma opinião sobre o sentimento do outro no discurso.

 

3 – Necessidade

 

Cada indivíduo tem uma necessidade pessoal diante de determinada situação. Após observar o cenário e concluir o que está sentindo, o emissor deve identificar essa necessidade. Isso mostra que em relação a necessidades somos todos iguais e com isso resgata a humanidade. Se o receptor da mensagem percebe que sua ação ou reação tem um propósito, vai refletir sobre como fazer isso de uma forma positiva para todos. Sem uma necessidade explícita na mensagem central, faltará um motivo para essa conexão entre emissor e receptor acontecer por inteiro.

 

4 – Pedido

 

Toda mensagem termina com um pedido. Seja satisfazer uma necessidade, resolver um problema ou executar uma tarefa. Mas, é preciso que esse pedido esteja claro. Marshall Rosenberg diz que, por causa do orgulho, em geral deixamos essa etapa para o receptor da mensagem “adivinhar” ou concluir, na expectativa de que uma “entrelinha” será fácil de entender. Porém, não é. Com a consciência disso, fica mais fácil o emissor ser direto e conseguir o que deseja.

 

A comunicação não-violenta tem auxiliado na resolução de conflitos em diferentes setores da sociedade. Por isso, um treinamento que envolva todos os colaboradores pode ser produtivo para qualquer empresa.Com uma comunicação mais assertiva, clara e sem agressividade, todos ganham. As reuniões e discussões sem fundamentos deixam de acontecer e o tempo que sobra será destinado para a execução de tarefas importantes. Entre em contato conosco para conhecer as nossas soluções relacionadas a comunicação não-violenta.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *