Blog

De que forma a teoria do Pipeline de Liderança pode beneficiar as organizações?

A fim de manter o seu pleno funcionamento, grandes empresas e organizações são estruturadas a partir de papéis. Isso significa que, para garantir o crescimento da empresa e também promover a evolução profissional dos colaboradores, é fundamental que cada indivíduo conheça o seu papel dentro ambiente corporativo e o execute da forma mais autônoma e independente possível.

A importância dos papéis dentro das organizações pode ser notada quando novos gestores, colaboradores e líderes assumem esses cargos sem estarem devidamente preparados. Esse é um cenário bastante comum dentro de ambientes corporativos: um colaborador se destaca tecnicamente em relação aos demais e tem a oportunidade de assumir uma posição mais alta dentro da empresa. Porém, quando entra em contato com essa nova realidade, ele percebe que não possui conhecimento e preparo o suficiente para atingir as expectativas de performance deste novo nível hierárquico.

teoria do pipelineAtenta a essa necessidade organizacional, a teoria do Pipeline de Liderança traça seis pontos principais para a transação de carreiras profissionais, que se interligam como se fossem canos. Dessa forma, essa teoria permite que competências sejam avaliadas, que futuros líderes sejam identificados e preparados para uma sucessão, assim como planos de carreira sejam criados a partir de resultados e performances.

Sendo assim, as seis transações traçadas pela teoria do Pipeline de Liderança são:

  • de gestor de si para gestor dos outros; 
  • de gestor dos outros para gestor de gestores;
  • de gestor de gestores para gestor funcional;
  • de gestor funcional para gestor de negócios;
  • de gestor de negócios para gestor de grupos;
  • de gestor de grupos para gestor corporativo.

O que cada uma dessas transações propõe é que o novo líder compreenda o seu papel dentro da empresa, passando por novas experiências e desafios – que exigem sempre outras habilidades e formas de pensar, tomar decisões e também de agir.

Caso esse líder não passe pelas transações de forma correta, a empresa fica sujeita a uma “obstrução do Pipeline”, ou seja, ela não alcançará a performance que poderia atingir se tivesse líderes preparados e cientes das suas responsabilidades e atitudes dentro do ambiente corporativo. 

E a obstrução do pipeline não tem efeito apenas sobre a organização de uma forma geral, o líder e a sua equipe também são prejudicados. A falta de preparo de gestores e colaboradores dependentes podem acarretar em:

  •  excesso de solicitações;
  • resultados abaixo do potencial; 
  • tolerância à baixa performance;
  • grandes números de erros;
  • excessivo tempo gasto com microgerenciamentos, reuniões e controle;
  • vida pessoal do gestor comprometida;
  • erros na seleção de sucessores ou a necessidades de trazer pessoas de fora;
  • menor responsabilização (ownership);
  • infantilização de competências.

O que esses fatores apontam é que a teoria do Pipeline de Liderança se torna fundamental dentro das empresas e organizações para definir exatamente o que se espera de cada papel, além de ajudá-los a ter autonomia para executar aquilo que lhes é determinado.

Através da teoria do Pipeline de Liderança, a Duomo Educação Corporativa ajuda as grandes empresas a preparar os líderes e gestores, pensando na sua performance individual e também na performance de seu equipe. Conheça alguns serviços prestados pela Duomo baseados na teoria do Pipeline de Liderança:

  • projetos de empowerment nas empresas;
  • consultoria para definição clara das entregas esperadas de capa Pipeline e, a partir disto, criação de um projeto para que cada colaborador venha a cumprir esta expectativa;
  • desenho de programas de desenvolvimento de liderança baseado nos Pipelines.

Entre em contato e conheça mais sobre os serviços prestados.